sábado, 10 de novembro de 2007

Carta aberta a um tal de Cóspio Alfinete

Não é minha preocupação estar sempre vigilante ao que se diz por aí sobre a TransmonTuna. Contudo, gosto de me manter informado e atento à Vox Pop.
Assim, deparei-me com o seguinte triste comentário de um elemento de uma tuna que se define, incompreensivelmente, como nossa rival, num fórum da mesma:


"Noticias Imperialix.net

Actuação prá Caloirada

Parece que na quarta-feira á noite há uma actuação na Aula Magna. Espero que o pessoal se porte bem senão solto o Mortadela!!

Vá, toquem e divirtam-se e depois contem-me como foi :p ou então enviem umas fotos para se pôr no site!
Queimada - 12/10/2007
Comentários (1) - Comentar
Cóspio Espinete, de Algures num Bunker, em 18/10/2007:
Foi lindo.... A IMPERIALIS está de parabéns!!! Uma grande noite, para a caloirada recordar!!! Os gajos das IMPERIALIS são mesmo uns FILHOS DA PUTA... Haviam de ver o becinho da Transmontuna... Grande abraço para todos!!!"


Assim, sem tirar nem pôr, num fórum que todos podem ler em http://www.imperialix.net/noticias.php Se entretanto for apagado, cá fica o registo.

Vendo-me no direito de responder a esta afronta por parte de quem parece estar cego para a realidade que o rodeia (e aparenta não ter a mínima postura exigida a um estudante do superior nem o decoro exigido quando se escreve num órgão de divulgação público como o fórum em questão) e munido de alguma paciência para abrir os olhos de quem não vê (ou não quer ver) e quiçá contribuir para a sua formação pessoal, exerço aqui o meu direito de resposta, na carta aberta que se segue.

"CARTA ABERTA A UM TAL DE CÓSPIO ALFINETE:

Caríssimo, é com tristeza que constato que este tipo de comentário - indubitavelmente fruto de frustração e/ou inveja notórias mas não explicitamente assumidas - venha manchar a memória de um evento como a apresentação aos caloiros e que contou com a presença de duas tunas vilarealenses, algo que embora não inédito, é raro (e logo aí merecedor de maior apreço).
Embora a história me convença do contrário, partirei do princípio que este comentário parte de iniciativa individual, e não reflecte a opinião de mais nenhum elemento da tuna a que pertence. Assim deverá também ser entendida esta minha resposta.
Indo devagar - ritmo que se impõe devido à gritante falta de discernimento que deverá caracterizar todo e qualquer um que profira este tipo de infundado comentário - analisarei o (pobre) conteúdo do seu reply. Procurarei não atacar ninguém e, ao invés disso, intentarei que esta missiva se revista de algum valor pedagógico. Assim, atente que:

1. A TransmonTuna não faz "beicinho" (sim, é assim que se escreve) por nada, nem ninguém e muito menos na situação particular referida pelo Sr. Alfinete. Se era isso que desejava ver, ou intentou engendrar pela força da descabida seca que deu aos caloiros quando esteve em palco (e ainda por cima com as mesmas batidas canções que já ouço há dez anos e que nem por isso me soam melhor com o passar dos anos) lamento ter perdido o seu (e infelizmente o nosso) tempo.

2. A TransmonTuna - Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro é o rosto mais reconhecido da TransmonTuna - ARC e não depende de associações (ditas) académicas (nem tampouco gostamos de lidar com amadores) ou apoios da Reitoria. Apesar disso, somos actualmente, e sem a menor sombra de dúvida, a colectividade mais activa, pujante, admirada e reconhecida desta Academia, e fora dela

3. Mais, a nossa actividade vê-se frequentemente elogiada pelas instituições e individualidades VilaRealenses de maior valor e prestígio, e orgulhamo-nos de ser dignos da mais alta confiança por parte das mesmas. Conquistamos essa posição a pulso - contra todas as adversidades e sem os apoios já referidos - e temos vindo a desenvolver o nosso trabalho ININTERRUPTAMENTE desde há 10 anos.

4. Em apenas seis edições - e a caminho da sétima - vimos o nosso sempre sobrelotadíssimo Festa Ibérica ganhar crescente notoriedade dentro do meio tunante nacional e cimentar-se como o evento mais esperado, concorrido e assistido pelo público Vilarealense (e não só). Não resisto a perguntar-lhe se se recorda do Panóias. Felizmente para quem o organizou, e mais para quem o pagou(?), já poucos se devem recordar.

5. Apesar de duas outras tunas serem secções da AAUTAD, a TransmonTuna representou (e continuará a representar) condignamente e orgulhosamente a sua Academia em todas as cerimónias solenes, congressos ou outros eventos académicos. Fosse na situação de convidada exclusiva e/ou preferencial (na maioria das vezes) ou para cobrir a constante ausência e inexplicável indisponibilidade das tunas da AAUTAD


Após este breve enquadramento - por demais necessário para que possa devidamente contextualizar o seu comentário e aferir da infelicidade do mesmo - passo à análise do evento em questão e no qual o Sr.Alfinete alega terem sido uns F...d..P... (eu próprio não diria tanto, mas enfim...):

Após termos sido convidados para a apresentação no Pedi-paper (actuação cuja primeira edição apenas contou, aliás, com a presença da TransmonTuna, devido à "indisponibilidade" das tunas da AAUTAD) foi-me comunicado que a Imperialis faria a primeira parte do nosso espectáculo, algo que até me agradou, dado eu acreditar que a UTAD só tem a ganhar com a diversidade e pluridade de grupos culturais académicos.
Não esperava, contudo, que a actuação da primeira tuna tivesse o condão de fazer levantar muitos dos caloiros das suas cadeiras e ir embora, por razões talvez relacionadas com a pobre qualidade geral do espectáculo, ou o exagerado e deliberado prolongamento da mesma e que, nesta altura (e após o seu mais que infeliz comentário), só posso concluir ter tido o propósito de prejudicar a Tuna (com maiúscula, note-se) que se seguia.
No entanto, e após vários pedidos do Venerável Ancião, os caloiros lá foram estoicamente aguentando, quiçá pensando que se tratava da mais angustiante das praxes. Não conhecendo a tuna que se seguiria, não tinham razões para ficar.
Quando entramos, no entanto, logo se esclareceu qual a tuna que os estudantes estavam à espera para ver.
O modo como a plateia se levantou - ANTES, DURANTE e APÓS a actuação (e desta vez para ovacionar, não sair) - assim como o modo como o público demonstrou conhecer as nossas músicas, o nosso grito, o nosso hino e partilhar do mesmo amor por esta Academia, contrastou sobremaneira com a actuação anterior, de uma tuna cristalizada no tempo, sem ligação às últimas gerações de estudantes, e compreensivelmente atrás de um tempo que não volta mais. Pode ser que sirva como estímulo para que tentem fazer coisas novas.

Saudações Tunantes

Giga"

Nota: Estou consciente que, para a maior parte dos TransmonTunos, a melhor resposta a todas as provocações é o reconhecimento da Academia mesmo em frente de quem nos (ingloriamente) procura atacar, bem como o longévuo e mais que evidente sucesso deste projecto. Eu, contudo, não resisto a repôr a VERDADE dos factos. São posturas e peço que entendam a minha.

8 comentários:

Pena disse...

Aproveito para a todos saudar e convidar a uma visita ao meu blogue:

http://notasemelodias.blogspot.com/

esperando os vossos comentários (seja aos artigos ou apenas no livro de visitas).

Faço votos de continuados sucessos na arte tunante!

Muga disse...

E novidades?

o_desaparecido disse...

Possa... passam os anos e as mentalidades continuam na mesma? A Imperialis tem culpa que vocês se sintam sempre rebaixados e ansiosos por responder a qualquer provocação, por mais pequenina que seja? Eh pá, francamente, esperava mais dos srs. drs.... Ou foi só para poder fazer publicidade ao novo blog?

P.S.: agora modera este comentário, Giga, para eu poder dizer no site da imperialis que vocês me censuraram... Olha que lá não temos moderação (nem spam), como bem viste. Na Imperialis todos são bem vindos.

Sir Giga disse...

1. Não censuro comentários que tenham diferentes pontos de vista, mas quaisquer uns que desvirtuem o espírito deste blog (ou spam, claro). Ainda não foi o caso, contudo.
2. Se as mentalidades continuam na mesma, é porque continuam a existir provocações grosseiras, sejam elas em palco ou on-line.
3.Apenas se rebaixa quem toma atitudes como a da actuação para os caloiros, ou de muitas outras que presenciei pessoalmente ao longo destes anos (contra a minha pessoa como tuno ou contra a tuna que aí represento). Atente-se ainda que apenas o infeliz comentário do Sr. Alfinete me fez perceber que, ao invés de falta de tacto, o que se passou na Aula Magna foi uma acção deliberada para prejudicar a tuna que se seguia. E com isso o público, infelizmente.
4. A minha resposta, EM NOME PESSOAL (se calhar vou ter que repetir isto mais meia dúzia de vezes), parte do meu desejo de repôr a VERDADE dos factos, pelos mesmos meios através dos quais a mesma não foi respeitada.
5. Não vim para aqui lavar roupa suja, de tempos que não voltam mais. Até porque não dizem respeito às actuais gerações de tunos e palhuços. Ansioso, estou apenas de uma coisa: do futuro.

Melhores cumprimentos

belhotte disse...

"A Imperialis tem culpa que vocês se sintam sempre rebaixados e ansiosos por responder a qualquer provocação, por mais pequenina que seja?"

1. A TransmonTuna, nunca em quase 10 anos de vida se sentiu rebaixada pelo que quer que seja, muito menos por comentários ou provocações de quem não nos merece tanta importância quanto isso;

2. Ansiedade, em geral, só mesmo com as gaijas (há algumas que são mais difíceis um bocadinho);

3. É sempre bom saber que mudam as pessoas, mas as mentalidades mantém-se: pode ser um factor importante na continuidade das culturas e das próprias estruturas das organizações (como considero queaminha funciona bem...)

"Ou foi só para poder fazer publicidade ao novo blog?"

4. No dia em que a TransmonTuna necessitar da Imperialis para ter publicidade...

belhotte disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Meus SENHORES, e agirem conforme o nome com que me dirigi a vós neste preciso momento, não?
Deixem-se de insinuações e ataques infantis, vivam e deixem viver, era o que melhor faziam.


Anónimo? Assim tem de ser perante o panorama com que me deparei neste blog.

Sir Giga disse...

Antes de mais, fico surpreendido pelo facto deste assunto ainda tilintar na mente de algumas pessoas. Congratulo-me, no entanto, com o que isso representa em termos de afluência neste humilde blog. Assim, aqui fica o devido reconhecimento. Vamos agora à análise da "profunda" reflexão com que fomos brindados:

"Meus SENHORES, e agirem conforme o nome com que me dirigi a vós neste preciso momento, não?" Bonito...

Lamentavelmente, o anonimato leva a que não consiga enquadrar devidamente as "construtivas" críticas, no respeitante à legitimidade de quem as profere. No entanto, e seguindo a sabedoria popular, constatarei somente que "as atitudes ficam com quem as toma".
Agradeço ainda epíteto atribuído à nobre casta transmontuniense, que peca apenas pelo apelo à actuação em conformidade com a categoria em que nos classifica, o que revela, mais que indelicadeza, uma profunda ignorância. A TransmonTuna - ARC assume como compromisso não só a persecução da qualidade artística como também - e acima de tudo - a responsabilidade de representar condignamente toda uma Academia e, no processo, fomentar a cultura, servir a cidade e constituir uma positiva influência no desenvolvimento pessoal dos jovens que nos integram, no caminho para se tornarem Tunos, ergo, na sua plenitude, verdadeiros Homens.

"Deixem-se de insinuações e ataques infantis, vivam e deixem viver, era o que melhor faziam." Pois...

Se por alguma razão um entendimento deficitário do texto constante neste tópico (e comentários ao mesmo) levou a que se entendessem por insinuações aquilo que são declarações objectivas e indúbias, aconselho uma releitura atenta das mesmas. Já classificar uma atitude defensiva com "ataques infantis" é inaceitável, até porque fica por comprovar a maturidade de quem se julga meritório de julgar quem não conhece. Este argumento justifica também a razão pela qual continuarei a viver a minha vidinha sem os "preciosos" conselhos do Sr. Anónimo. Isto e o facto de nem precisar dos mesmos, nem tampouco os ter perdido.

"Anónimo? Assim tem de ser perante o panorama com que me deparei neste blog."

Efectivamente, o ambiente neste blog deve ser mesmo tenebroso, negro e sinistro, de modo a justificar comentários anónimos, pobres no estilo, conteúdo e pertinência. Mas a prática leva, eventualmente, à perfeição e neste espírito continuarei a permitir todos os comentários que não raiem a linha do indecoroso, por questões pedagógicas, mas também de equidade. A cultura democrática também passa por aqui.

Saudações académicas